PENSAR COM OS MEUS BOTÕES

É MATEMÁTICA E LEGITIMIDADE, SIMPLESMENTE!

Posted in Política e Sociedade: Artigos de Opinião by Manuel Coimbra on 06/12/2015

Os resultados eleitorais exprimem claramente a vontade dos portugueses (excluídos os não votantes, muitos deles desmotivados pelos políticos não governarem para o bem comum) de se mudar a política governativa seguida pelo governo PSD-CDS nestes últimos 4 anos.

Esta vontade soberana é provada matematicamente: dos 5.408.805 de votantes, apenas 1.993.921 votaram na coligação formada por aqueles dois partidos políticos, enquanto que 3.414.884 votaram noutros partidos.
Assim, todas as afirmações de Passos Coelho, Paulo Portas e seus seguidores contra a possibilidade de se formar um governo do PS, apoiado pelo PCP, Bloco de Esquerda e restantes partidos com assento parlamentar, não têm qualquer fundamento lógico e denotam intolerância e falta de sentido democrático. Andam também a acenar com “fantasmas que comem criancinhas ao pequeno almoço”, quando os portugueses , e entre eles muitas crianças, é que têm sido vítimas da fera capitalista (de quem eles são servos) que lhes devora os alimentos e os sonhos de uma vida melhor.
Também, à luz da Constituição, todos os partidos têm igual legitimidade para governar.

CARTA ABERTA A PASSOS COELHO

Posted in Política e Sociedade: Artigos de Opinião by Manuel Coimbra on 17/02/2012

CARTA ABERTA A PASSOS COELHO

Sr. ministro

Escrevo-lhe esta carta para lhe dizer o seguinte:

– em 26 de Março de 2011, numa escola que visitou, uma estudante perguntou-lhe se você, se fosse 1º ministro, ia tirar os subsídios de Natal e de férias à mãe e você disse-lhe que nunca tomaria uma medida dessas, que isso era um disparate e também chegou a afirmar publicamente que não aprovava o PEC 4, porque não apoiava mais aumentos de impostos, pois não se deviam impôr mais sacrifícios aos portugueses. Mas você não cumpriu o que disse! Mentiu a uma criança e aos portugueses! Porque, agora no governo, você extorquiu 50% do subsídio de Natal de 2011 aos reformados, aos pensionistas e aos funcionários públicos e decidiu acabar com esses subsídios a partir de 2012, portanto, você é um mentiroso; se a José Sócrates coube a alcunha de Pinóquio, a si assenta-lhe perfeitamente a alcunha de Super-Pinóquio;

– você não tem o sentido da equidade nem o da Justiça, porque excluiu deste contributo e sacrifício, que deviam ser colectivos, as grandes fortunas, os bancos e as grandes empresas, que têm lucros de milhões de euros por ano;

– você já mostrou não ter estatura moral, nem política, para governar, pois limita-se a ser um lacaio de interesses privados e de grupos económico-financeiros, nacionais e internacionais, que favorece, sacrificando os portugueses mais desfavorecidos e o interesse nacional (não é compreensível ter-se vendido o BPN ao BIC – banco de capitais maioritariamente angolanos – por 40 milhões de euros, quando havia outros potenciais compradores que ofereciam 100 milhões, a manutenção dos postos de trabalho e financiamento a pequenas e médias empresas: o Estado perdeu de imediato 60 milhões de euros; recordo-me que uma semana antes do negócio se efectuar, Paulo Portas, o tal do negócio dos submarinos, esteve em Angola e até a Comissão Europeia desconfia da venda do BPN ao BIC, tendo considerado o “preço negativo”; ao permitir as privatizações da EDP, da REN e da GALP, você vai entregar lucros anuais de milhares de milhões de euros, que estas empresas facturam, a alguns privados, concentrando ainda mais riqueza numa minoria em prejuízo do Estado – que somos todos nós);

– você favorece clientelas partidárias – jobs for the boys and girls – pois colocou três gestores não executivos na CGD desnecessariamente, fora os outros que estão a ser espalhados por várias instituições públicas, muitos deles sem qualquer experiência nas áreas profissionais em que lhes arranjou o “tacho”, só por causa da sua coloração partidária e para lhes arranjar um emprego altamente rentável, quando você criticava o anterior governo por essa mesma atitude; pois é, chegou o momento de “meter a mão no pote”;

– você, o seu governo, o PSD e o CDS sois tudo menos sociais-democratas, pois contribuístes, após o 25 de Abril, e continuais a contribuir para aumentar o fosso entre ricos e pobres no nosso país.

Tenha pois vergonha na cara e demita-se, já que você, em poucos meses, perdeu credibilidade e legitimidade moral e política para governar Portugal.

Manuel Coimbra